OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Domingo, 17 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Aumenta a quantidade de miseráveis no Brasil

Crise econômica aumentou em 8,6 milhões o número de pessoas que passaram a viver com menos de ¼ do salário mínimo por mês. Jovens, pessoas com ensino médio incompleto e moradores do norte e nordeste são os mais prejudicados.

Por Anderson Luna dia em OTB no Brasil

Aumenta a quantidade de miseráveis no Brasil
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador, 02/01/2019, 10:00 h – São Paulo
 
As últimas pesquisas do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, indicaram grande aumento no número de pessoas vivendo com renda abaixo de ¼ do salário mínimo, isto significa que mais de 12% da população brasileira vive na miséria.

Número de jovens que não estudam nem trabalham chega a mais de 25%.

Para ter a situação considerada como de pobreza extrema, a pessoa teve ter, segundo o Banco Mundial, 5 dólares (cerca de 20 reais) de consumo individual por dia. Em 2016 o maior número de pessoas nesta condição vivia no estado do Maranhão, com 52,4% da população e a menor proporção foi detectada no estado de Santa Catarina, onde apenas 9,4% da população vive na miséria. No mundo, 50% dos pobres tem menos de 18 anos.

O Brasil é um país onde existe grande desigualdade social, mesmo quando comparado aos países vizinhos da América Latina. A OTB tem consciência disso e procura, em vez de aguardar soluções vindas do poder público, colocar a mão na massa.

São várias as iniciativas  que estão em andamento para fomento da atividade econômica entre os membros da OTB e conquista de emprego pela população.

Hoje, quando as agências de emprego tornaram-se virtuais e caras, principalmente para quem está desempregado, a OTB deve, em breve, lançar uma nova proposta de intermediação de vagas de emprego, que deve agradar às empresas e ter custo muito mais baixo que as empresas tradicionais.

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//