OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Brasil desgovernado

EDITORIAL – A sintomática saída do Ministro da Saúde, Nelso Teich, em plena pandemia sintetiza o descontrole. Foto: montagem

Por Anderson Luna dia em OTB no Brasil

Brasil desgovernado
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador – São Paulo

EDITORIAL

Anderson Luna é presidente da Ordem dos Trabalhadores do Brasil.

Hoje (15) foi anunciado em Brasília, o pedido de demissão do Ministro da Saúde, Nelson Teich que substituiu Luiz Henrique Mandatta demitido pelo presidente Jair Bolsonaro. Teich sai sem ter completado um mês de trabalho.

Seria uma simples troca de ministros, não ocorresse em meio à maior crise sanitária em um século e não deixasse sem rumo – e sem transparência – a administração da saúde da população.

Motivos não faltaram para a decisão. O principal talvez tenha sido a vergonha pública a que Teich foi exposto ao ser informado pela imprensa, ao vivo, de decisões tomadas pelo Presidente Bolsonaro. O momento vexatório se não foi o motivo, certamente colaborou.

Porém, muito mais importante que a saída do ministro, é o que isso representa. O Brasil, uma das maiores economias do mundo, está com a população em risco real devido à inércia do governo. Não há medida palpável. Vive-se, dia após dia, de pautas bomba para desviar atenção, enquanto resta a governadores e prefeitos abandonados o ônus das duras medidas necessárias para salvaguardar a vida da população.

Isso não é aceitável.

A oposição, os partidos de esquerda, precisam se unir e tomar a dianteira de maneira agressiva. Basta de horror, de bravatas, de discurso de comício que promete sem compromisso com realização. Nós, brasileiros estamos em risco. São nossos pais, filhos, avós e irmãos morrendo nas filas de atendimento.

São respiradores que nunca chegam. São vidas que retornarão jamais.

Inadmissível a opção pela banalização adotada por Bolsonaro para favorecer empresários e banqueiros que exigem que o povo vá para as ruas enquanto eles permanecem em suas mansões, isolados e, quando (se) adoencem, internam-se em quartos luxuosos com todo equipamento e equipes à disposição.

Basta.

Os partidos de oposição tem que partir para a ofensiva. Reunir pela internet, pacificamente e com firmeza contra esse desgoverno cujos objetivos, além de proteger empresário, aparenta ser somente, blindar seus integrantes.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//