OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Governo Federal é contra “reajuste zero”

Para Planalto, acenar com reajuste zero para empregados das estatais  “é pesado demais” porém, informa que serão endurecidas as negociações com esta parcela de trabalhadores

Por Paulo Campos dia em OTB no Brasil

Governo Federal é contra “reajuste zero”
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador, 17/05/2017, 17:50 – O governo Temer anunciou que vai endurecer as negociações com os trabalhadores das estatais indo contra orientação de uma ala do Ministério do Planejamento que defendia “reajuste zero”. Segundo o governo, diante da crise as estatais estão sem condições de dar reajustes a seus empregados. “O que vamos fazer é dar aumentos salariais de acordo com a capacidade de cada companhia”, disse um assessor do Presidente Temer.

A instrução é que as estatais verifiquem suas possibilidades para concessão de reajustes e sendo assim, os aumentos devem ficar abaixo do INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, usado nas negociações trabalhistas.

Dentre as estatais, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal tem registrado lucros, é sabido que serão fechadas várias agências e que seus funcionários receberão incentivos para se aposentarem. Este movimento faz parte do plano de adequação para enxugamento, já que a instituição tem lucratividade 50% menor que Bradesco e Itaú, por exemplo.

Na Caixa a situação é mesma, porém, a instituição está em em situação mais grave devido ás perdas dos últimos anos. A Caixa tem aparecido constantemente em operações realizadas pela Polícia Federal.

O governo pretende “profissionalizar a gestão” porém o caminho parece ser, como é regra no serviço público, a penalização dos funcionários.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//