OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Terca-Feira, 12 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Jovens querem deixar o país

EDITORIAL – As eleições, que são oportunidade para renovação, privam o povo deste direito ao apresentar os mesmos candidatos de sempre. Com a descrença que leva jovens ao desânimo e desesperança, está formada a receita de um país moribundo.

Por Anderson Luna dia em OTB no Brasil

Jovens querem deixar o país
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador, 10/09/2018, 14:00 h – Brasília

Dos pilares da democracia, a renovação é necessária para injetar novas ideias, aspirações e ações tanto do executivo, quanto no legislativo. É, desta maneira, fundamental para que exista equilíbrio no trato do que é publico, quando se observa que diferentes linhas políticas tem propostas distintas quando ao gerenciamento do país. Enquanto partidos de direita tendem ao liberalismo, partidos de esquerda tendem às ações sociais.

Justamente por este motivo é benéfica a alternância de poder. Este equilíbrio proporciona crescimento econômico com defesa dos direitos sociais.

 A OTB se posiciona contra o establishment e tem como norma não se submeter ao jugo de qualquer partido político.

 O problema é que no Brasil, essa elite social, econômica e política detém o poder e usa de todos os artifícios para mantê-lo. Não interessa a alternância, muito menos a renovação e isso é facilmente perceptível no horário eleitoral, quando sobrenomes velhos conhecidos mostram a cara, geração após geração.

 Eleições são oportunidade impar na construção de um país democrático e a população tem que ser imbuída do espírito patriótico visando o bem comum.

É importante que a população seja criteriosa na escolha dos candidatos que irão conduzir suas vidas nos próximos anos. Plataformas radicais raramente conseguem realizar o que propõe e políticos de sempre nunca mudarão sua postura. Cuidado extra tem de ser tomado por minorias que formam “bancadas” e tendem a submeter a população à dogmas religiosos ou interpretações que não correspondem à vontade da maioria.

Pena que nos últimos 50 anos, entre anos de ditadura e desgovernos civis, o povo brasileiro tenha sido levado a não acreditar no Brasil, não desenvolveu amor ao país e aos irmãos conterrâneos.

O brasileiro é bom por natureza, pacífico e trabalhador e é lamentável as novas gerações não tenham sido ensinadas a lutar pela sua terra e que seu maior sonho seja sair do país.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//