OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Terca-Feira, 12 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Nada de casa própria para servidores de SP

Bruno covas ignora necessidades de seus servidores.

Por Anderson Luna dia em Nossos Direitos e Conquistas

Nada de casa própria para servidores de SP
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador - São Paulo Capital

Em São Paulo, a Prefeitura entregou 23 conjuntos habitacionais em dois anos e meio, nenhum voltado para seus próprios servidores.

Em atendimento ao Programa de Metas da Habitação 2017-2020, o governo municipal de São Paulo entregou 7437 unidades habitacionais e tem mais 73 empreendimentos em obras que disponibilizarão mais 15319 novas moradias na cidade, nenhuma delas, no entanto será disponibilizada aos servidores municipais em condições diferenciadas.

O programa prevê a construção ou reforma de 24 mil residências para o projeto Casa da Família e mil unidades para o programa Locação Social.

Hoje a prefeitura tem sete empreendimentos, com 937 unidades do programa Locação Social. Ainda existe o programa de regularização fundiária que deve beneficiar 210 mil famílias com termos de posse e quitação até 2020. Foram contempladas 57.066 famílias desde 2017 com a regularização de seus lotes e 71.581 famílias receberam termos de quitação de SEHAB e COHAB.

A prefeitura ainda entregou o Residencial Asdrúbal do Nascimento que tirou da rua 34 famílias que viviam em contexto de vulnerabilidade social e ainda fomentou o programa de Urbanização Integrada de Assentamentos Precários que, desde seu início em 2017, favoreceu 8760 famílias, com previsão de contemplar um total de 27.500 famílias.

São programas efetivos e que estão em andamento, só que, embora exista legislação municipal sobre a construção e financiamento da casa própria para servidores municipais, que dificilmente terão condições de adquiri-las justamente pela sua condição de funcionários públicos e pela defasagem salarial promovida pela própria prefeitura – e seus seguidos reajustes de 0,01% - nenhuma providência ou boa vontade foi demonstrada.

A OTB – Ordem dos Trabalhadores do Brasil sugere que seja instituída comissão de servidores com finalidade de debater este assunto com a administração municipal e colocar em prática o decreto de João Dória.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//