OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Prefeitura de SP em greve e Bruno Covas encolhido

Proposta do prefeito Bruno Covas de reduzir salários dos Servidores administrativos da Prefeitura de SP que estão congelados há uma década está motivando união inédita e deve resultar em greve. Vereador Holiday acusa prefeito de inapto. Foto: fotomontagem Twitter

Por Anderson Luna dia em Nossos Direitos e Conquistas

Prefeitura de SP em greve e Bruno Covas encolhido
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador - São Paulo Capital

Chamada de “proposta indecente” pelos servidores, a reestruturação das carreiras de nível médio e básico que chega a reduzir salários apresentada pelo prefeito Bruno Covas está provocando revolta e está motivando a paralisação do dia 19.

“Todos serviços são organizados e alimentados pelos servidores administrativos. Médico não atende, engenheiro não libera obra, professor não dá aula sem o trabalho burocrático. Exigimos nossos direitos! Não entramos pela porta dos fundos. Todos fizemos concurso, passamos e temos nossos direitos. O Covas não respeita a gente!” afirmou um servidor, defronte o prédio da administração, no viaduto do chá, hoje (17).

Servidores que estão com salários defasados por seguidos reajustes de 0,01%, na prática, sem reajuste, se sentiram ofendidos pela proposta de reestruturação das carreiras que retira direitos conquistados há muito tempo, dificulta o crescimento na carreira e chega a diminuir o salário.

Outro ponto questionado é que o salário básico proposto não alcança o valor já recebido por servidores do mesmo nível que trabalham na Secretaria da Saúde. “Covas quer diminuir salário, chutou a paridade e não cumpriu a promessa de abono que fez em março (referindo ao abono proposto pelo prefeito para acabar com a greve de março, promessa que não foi cumprida”.

O abono que seria de 300 reais para integrantes das carreiras de nível médio e 200 reais para os de nível básico, foi brecado pelo vereador Fernando Holiday que, esta semana voltou a atacar o prefeito, dizendo que  “São Paulo não merece o prefeito que tem hoje” e que ele “Ele é muito incompetente, dá a impressão de que ele não gosta do que faz e não sabe o que faz”.

Vários representantes de servidores anunciaram a paralisação dos serviços administrativos nas Secretarias da Gestão, Finanças, Educação e Saúde, entre outras.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//