OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Saúde do trabalhador depende do saneamento básico

O Brasil precisa de crescimento econômico. Somente o crescimento gera empregos e diminui as diferenças sociais, além de favorecer a distribuição de renda. Porém, a falta de saneamento provoca diminuição da eficiência na atividade profissional.

Por Anderson Luna dia em OTB no Brasil

Saúde do trabalhador depende do saneamento básico
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador, 21/09/2018, 13:00 h – São Paulo

Um dos problemas que impedem o Brasil de ter índices de crescimento econômico compatíveis com seu potencial, é a falta de saneamento básico. Por todo o país obras de saneamento ou não existem ou estão paralisadas. Como resultado, somente em 2017, o custo de doenças causadas pela ausência de saneamento ou por água não tratada, chegaram a R$ 100 milhões.

De acordo com o Ministério da Saúde houve em 2017 um total de 263,4 mil internações, numero ainda alto, apesar de inferior ao total de 2016 quando houve 350,9 mil internações que resultaram em gastos da ordem de R$ 129 milhões.

É necessário que os governantes mudem o paradigma e deixem de considerar como gasto o que na verdade são investimentos no saneamento básico. Estudo da OMS – Organização Mundial da Saúde indica que cada dólar investido em saneamento resulta na economia de 4,3 dólares em custos de saúde. Grupos do setor privado ligados ao saneamento básico reunidos em São Paulo foram unânimes ao declarar que este tipo de investimento gera economia e estimam que, a extensão da rede de esgotos e fornecimento de água tratada a todos os brasileiros geraria uma economia anual da ordem de R$ 1,4 bilhão em gastos com saúde.

 

 

 

 

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//