OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil        Sábado, 16 de Novembro de 2019

OTB - Ordem dos Trabalhadores do Brasil - Trabalhando pelos direitos dos Trabalhadores

Trabalhador terá de contribuir muito mais para ter aposentadoria tranquila

Sendo aprovada a reforma da previdência, o trabalhador terá de contribuir com mais até 32% para ter benefício equiparado ao que receberia sem a reforma.

Por Anderson Luna dia em OTB no Brasil

Trabalhador terá de contribuir muito mais para ter aposentadoria tranquila
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Agência Trabalhador, 03/02/2019, 16:00 h - São Paulo - com informações Mix Vale

A proposta de reforma da previdência exigirá sacrifício dos trabalhadores que desejarem ter uma aposentadoria mais tranquila. Para manter os níveis de salário razoáveis, o trabalhador terá que contribuir com até 32% do salário somados ao que paga hoje (8 a 11%).

Em conta simples, um trabalhador que ganha 16 mil reais por mês teria de desconto 3200 reais e não apenas 1200 reais (levando em conta uma pessoa que entra no mercado de trabalho com 20 anos de idade, contribui durante 35 anos, se aposenta aos 55 anos e receberá aposentadoria complementar até os 85 anos de idade - fonte:jornal Extra).

Veja o que fazer no INSS antes da Reforma da Previdência do Bolsonaro. O que mais a gente ouve é que “as regras não podem mudar no meio do jogo”, que quem já contribui há muito tempo não pode ser prejudicado e que deveria ter uma regra de transição (menos drástica) para quem está próximo de completar o tempo para se aposentar.

QUEM SÃO AS PESSOAS QUE ESTÃO PREOCUPADAS COM A POSSÍVEL REFORMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL?
Identificamos quatro tipos de pessoas: os que já estão aposentados; os que já adquiriram o tempo para se aposentar, mas ainda não pediram seus benefícios; quem está longe ou muito perto da aposentadoria e que podem ser atropelados pela nova lei.

O QUE PODE ACONTECER COM QUEM JÁ ESTÁ APOSENTADO?
Praticamente nada. Quem já está recebendo o benefício, desde que não seja um benefício que possa ser cessado (por exemplo, os por incapacidade), não terá nenhum prejuízo.

QUEM ESTÁ APOSENTADO NÃO PRECISA FAZER NADA?
Quanto à Reforma da Previdência, não tem com o que se preocupar. Quem está insatisfeito com o valor da aposentadoria pode fazer um pedido de revisão.

O QUE DIZER PARA AS PESSOAS QUE ESTÃO CORRENDO NA PREVIDÊNCIA E PEDINDO O BENEFÍCIO ÀS PRESSAS?
Tem que ter muita calma nesta hora. Quem já pode se aposentar tem direito adquirido. Mesmo que a lei mude, elas não perderão o que já conquistaram.É preciso analisar qual é o melhor momento para se aposentar. São vários os relatos de quem pegou a aposentadoria no momento erradoe vai receber um benefício baixo para o resto da vida. Tem que buscar orientação antes de bater o martelo.

E PARA QUEM ESTÁ QUASE CHEGANDO LÁ, FALTANDO POUCO TEMPO PARA ADQUIRIR O DIREITO?
Não podemos dizer que essas pessoas podem ficar tranquilas. Elas correm o risco de ter que retardar um pouco mais o sonho da aposentadoria. No projeto da reforma existe a regra de transição.

COMO FUNCIONA ESTA REGRA DE TRANSIÇÃO?
Quem está perto de aposentar teria que trabalhar um adicional de tempo de serviço (pedágio) de 30% do tempo que falta para obter o direito. Por exemplo: quem está há dez meses da aposentadoria, teria que trabalhar mais três.

E O QUE ESSAS PESSOAS DEVEM FAZER AGORA?
Não tem muito o que fazer. Tem que esperar a regra ser aprovada para ver onde elas seriam encaixadas. Sugiro que calcule seu tempo de serviço. Sabendo quando vai se aposentar, o trabalhador pode descobrir as brechas para obter o melhor benefício.

FINALMENTE TEM QUEM ESTÁ LONGE DA APOSENTADORIA E JÁ PENSA EM DESISTIR. É POSSÍVEL PARAR DE CONTRIBUIR?
Não tem como parar de contribuir. Quem exerce atividade remunerada é obrigado a pagar. O empregado é descontado na folha de pagamento e quem trabalha por conta própria será cobrado pela Receita Federal se não pagar.

ENFIM, A PREVIDÊNCIA VALE A PENA?
Em um cenário deste podemos duvidar disso porque sempre pensamos na aposentadoria por tempo de contribuição. Mas, se perguntarmos para quem está recebendo um benefício por doença, invalidez ou acidente do trabalho, a resposta certamente será outra.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui:

//